O que as organizações missionárias buscam em um candidato?

As organizações missionárias brasileiras construiram na sua história de trabalho em missões uma cultura de pré requesitos específicos para formação e atuação no trabalho ministerial. Essa cultura molda aquilo que se exige do candidato a missionário, antes que este seja efetivamente enviado.

Segundo pesquisa da AMTB (Associação Missionária Transcultural Brasileira), as características mais valorizadas entre as lideranças de agência missionária no Brasil são as seguintes: possuir formação missiológica (59,2%), possuir formação bíblica (65,7%), filiação à uma igreja local (88,1%), possuir recomendação de um(a) pastor(a) ou líder (90,7%), ter caráter cristão aprovado (96%).

No caso da Missão Kairós, o primeiro passo, necessariamente será obediência ao protocolo de envio por parte da Igreja Local. Se esse parâmetro não for respeitado, os demais não serão suficientes.

A Missão de Deus foi entregue à Igreja. E a expressão dela se dá nas comunidades locais. Seja uma benção ali, antes de qualquer coisa. Sua igreja local é a base de qualquer ministério bem sucedido além das fronteiras.

Camboja, terra de desafios

O Reino do Camboja é uma nação localizada na porção sul do Sudeste Asiático, que faz fronteira com Tailândia, Vietnã e Laos e possui uma população de 15 milhões de habitantes.

Existem cerca de 19 línguas minoritárias no país, mas o idioma oficial falado por 97% da população é o Khmer. Uma crescente migração de chineses vem crescendo no país, bem como conflitos políticos. O Reino do Camboja tem uma bela história que começa com império Angkor no século 9 até à colonização francesa em 1954.

Curiosamente, o Camboja é um dos poucos países do mundo onde o estado, oficialmente, professa uma religião específica. Ou seja, o Budismo (na sua tradição Theravada) é a religião oficial do país e 95% da população.

A Missão Kairós tem obreiros no país, a frente de escolas internacionais e projetos sociais. A nação possui dramas humanitários consideráveis. O povo alegre é um convite para que possamos orar e investir nessa bela nação. Fica o desafio!

Apesar da Pandemia

O mundo entrou em desespero em Fevereiro de 2020. Ficamos perplexos com um inimigo invisível que devastava nações com hospitais cheios, profissionais esgotados e muitos mortos. A angústia aumentava dia a dia, a medida que o virús se aproximava.

Em Fevereiro de 2020 recebemos 32 alunos em nosso centro de treinamento, semanas antes da Pandemia. Alunos de 5 países… Da ilha do Marajó ao Sudeste do Senegal, da Venezuela ao Rio de Janeiro. Casais, solteiros e famílias com crianças. E tudo foi fechando… e tudo foi sendo cancelado.

A formação missionária na nossa experiência enquanto Missão Kairós está muito além da sala de aula. Ela se dá de forma integral com os livros, os textos e a exposição do conteúdo por missionários, missiológos, pastores e líderes, mas também em meio à poeira, à pobreza, à desidratação infantil… Na ausência de asfalto, na abundância da injustiça.

Somos missionários treinando missionários. E as situações que a Covid nos trouxe, nenhum livro poderia trazer, ainda que esses sejam importantes e indispensáveis.

Missionários da vida real enfrentam pandemias. Enfrentam escassez de alimentos e remédios. São nas nossas portas que os mais necessitados batem. O missionário enfrenta decisões governamentais e precisa aprender a ter sabedoria, discernimento e sensibilidade. As vezes, não é possível postar na internet e outras vezes, sequer haverá conexão.

A decisão de continuar não foi fácil. Mas, reunimos nossos candidatos e eles tiveram que, ainda no início da formação colocar a fé em ação e o chamado no centro da decisão. A primeira, em muitos casos, de várias situações assim que o campo exigirá deles. O custo do ministério é alto. Mas, estamos dispostos a pagar… “A Missão KAIRÓS seguirá firme, para que o Cordeiro de Deus, siga recebendo toda a Glória pela obediência até sua morte na Cruz”. Missões é o dever de todo cristão, de todos que seguem a Cristo.

Se não você, quem? Se não agora, quando? Se inscreva para a seleção de 2021. O dia de obedecer é hoje. Informações: treinamento@missaokairos.org.br

 

Sônia Mendes

Diretora de Treinamento

Você sabia?

A Igreja Brasileira, segundo o último dados do IBGE (2018) possui hoje mais de 60 milhões de pessoas. Isso é mais do que a população de muitos países. Já somos mais de 30% da população brasileira.

Apesar destes números serem animadores, temos uma situação controversa em termos de envio missionário. A Igreja brasileira só gerou 15 mil missionários, apesar de seu grande potencial. Apenas 1 em cada 4.000 cristãos é missionário. São necessárias cerca de 13 igrejas inteiras para vermos nascer um obreiro. E, conforme as respostas à pesquisa da AMTB (Associação Missionária Transcultural Brasileira), que liderou um amplo estudo em 2-17, a média de oferta para missões dos brasileiros é menos de 2 reais ao mês.

Quem chama é Deus. Quem distribui os dons é o Espírito. Quem dá a forma e o padrão da Missão é o filho. Mas, é a Igreja Local que tem a responsabilidade de enviar. É nossa responsabilidade mudar esse cenário. Deus chamou a Igreja para fazer discípulos de todas as nações (Mt. 28:19-20).

 

O chamado é de Deus. A obediência, é nossa. Vamos juntos?

Ore por Burkina Faso

Créditos da Imagem: Site da UNHCR

 

Os conflitos em Burkina permanecem vitimando dezenas de pessoas, lamentavelmente. Homens armados em motocicletas dispararam contra o mercado lotado da cidade de Kompienga dias atrás, comerciantes sofreram ataques no norte.

Nossas equipes, que já relataram mortes de vários cristãos no país, está segura e perserverando no trabalho naquele país. Mas, a situação é extremamente tensa.

Ore por essa nação. Que eles conheçam o Príncipe da Paz. E ele julgará entre as nações, e repreenderá a muitos povos; e estes converterão as suas espadas em relhas de arado, e as suas lanças em foices; uma nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerra (Is. 2:4).

O Treinamento de 2021 já está no forno

A crise não pode deter a missão! Seguimos firmes no propósito de anunciar entre as nações a glória do Senhor e trabalhando para formar novos obreiros para a Seara.

O treinamento para admissão de novos missionários da Kairós de 2021 já está sendo preparado. O curso é aberto também aqueles que buscam formação teórica e prática em Missões. Os professores são missionários experientes e missiologos comprometidos com a obra intercultural.

A data de início será 20 de fevereiro do próximo ano. Você pode ter mais informações em treinamento@missaokairos.org.br

Células e Missões: organizando missões em grupos pequenos

Missões é a resposta natural do crente ao amor que o alcançou e salvou. Todo crente que de fato ama ao Senhor, deseja compartilhar Sua glória.

Uma das estratégias mais interessantes para se implentar a paixão missionária na Igreja é por meio de grupos pequenos (células). Igrejas que são fortalecidas por meio da pregação de casa em casa, podem assumir o desafio de fazer de cada célula, um grupo de intercessão por povos, nações e causas específicas.

Um grupo pode adotar, por exemplo, nações sem Bíblia traduzida. Orar por elas, buscar missionários que atuam nessa seara, fazer ligações e “lives” com eles e, quem sabe adotar um obreiro dessa área.

Outro grupo pode se dedicar a uma nação desafiadora, outro a filhos de missionários, outra a orar por uma região e assim por diante.

Sua igreja está envolvida em Missões? Não perca tempo! Comece hoje mesmo a orar por esse alvo e trabalhar nele.

Missionários animados na Tailândia

Nossos obreiros em Bangkok estão absolutamente comprometidos com os mais vulneráveis nesses dias de Covid. A Tailandia está retornando sua rotina e, com isso, as ações ministeriais aumentam gradativamente. A família Aristimunho, compartilhou com muita satisfação uma parte de seu trabalho na Tailândia.

“Foi uma alegria pode regressar ao orfanato novamente, abençoar os meninos,  orar com eles e compartilhar o amor de Cristo. Também, ter tido a oportunidade de estar na prisão feminina em Pattaya, onde se encontram 120 mulheres e poder compartilhar canções, jogos, uma mensagem bíblica sobre o filho pródigo e um tempo precioso de oração sobre suas vidas, onde muitas delas decidiram-se por seguir a Cristo”.

A família ainda oferece cursos de Inglês para adolescentes carentes da capital e atende refugiados na grande Bangkok, uma cidade desafiadora. A Tailândia é uma das nações com menor população cristã do mundo, menos de 1% e com uma das populações mais budistas do planeta, com mais de 90% do seu povo praticante desta religião.

Ore por essa família missionária!

Um celeiro abandonado

Willian Carey é conhecido como o “pai das missões modernas”. Este sapateiro inglês, nascido em 1761, foi tocado por Deus para deixar a Inglaterra rumo ao nordeste da Índia em pleno século 18.

A partir do seu exemplo, a Inglaterra se tornou umas nações mais influentes do mundo missionário entre os séculos 18 e 19. Várias nações foram beneficiadas com obreiros corajosos e dispostos a sacrificar suas vidas. A evangelização do mundo tem uma dívida de gratidão sem precedentes com os britânicos.

Porém, hoje a situação da Inglaterra nem de longe nos lembra esse belíssimo passado. Estudiosos apontam que o liberalismo teológico minou a saúde da Igreja naquele país e o cenário hoje é devastador.

Segundo o jornal The Guardian, menos de 20% da população entre os 16 até 29 anos se considera cristã. No montante, 70% se considera não cristã e o restante confessa outros credos, de diversas religiões. E olhando a população no geral, a despeito da idade, 59% dos britânicos nunca participou de qualquer cerimonia religiosa, de qualquer credo.

Quais lições podemos tirar dessa triste realidade? Façamos hoje nossa tarefa. Oremos sem cessar. Cuidemos da Evangelização das crianças. Busquemos ao Senhor com fervor!

Fonte: https://www.theguardian.com/world/2018/mar/21/christianity-non-christian-europe-young-people-survey-religion

 

Você já passou por isso?

A cada dia em nossa vida como discípulos de Cristo, aprendemos coisas novas. Hoje não foi diferente. 

 

Como a maioria das pessoas, também temos passado por momentos dificeis. Mas, nosso coração se alegrou com uma oportunidade que bateu à nossa porta. Uma pessoa de nossa vila, bateu à nossa porta pedindo ajuda. E, quando alguém faz isso, sabemos que é Deus nos dando oportunidades, como aconteceu na multiplicação dos pães. O desafio era discernir quando e quem.

 

Certo dia, uma amiga chinesa nos telefonou pedindo para nos encontrarmos hoje às 7:30 da manhã em um bairro perto daqui, aproximadamente uma hora à pé, pois ela gostaria de nos dar uma certa quantia para usarmos com alimentos para as crianças que ministramos. Na hora marcada  C*, V* e eu estávamos lá e recebemos o envelope, muito agradecidas. 

 

Chegamos em casa, fiz a devocional e fui cumprir a tarefa do dia com as crianças de nossa casa abrigo. Então, o Senhor começou a falar forte ao meu coração para que eu não usasse o dinheiro e aguardasse. 

Ainda naquela manhã, uma amiga nepalesa compartilhou comigo ao telefone, sobre a  grande luta que está passando com as crianças que estão sob seus cuidados. Isso me tocou… Então, entendi claramente a mensagem. Nós deveríamos compartilhar aqueles recursos que o Senhor pediu que gardássemos com ela. Deus respondeu!

 

Muitas vezes dividir com alguém o que temos em tempo de fartura é fácil, mas dividirmos em momento de escasses só é possível  se tivermos um coração segundo o coração do Pai. Sempre que isso acontece nos reunimos e agradecemos a Deus pelas pessoas que foram instrumentos nas mãos Dele para nos abençoar com essa experiência.

 

Fizemos uma compra com vários itens e entregamos o valor que ela precisava para o gás e água. E encerramos mais um dia e com a graça de podermos dizer  “até aqui tem nos ajudado o Senhor”.

 

 

Família G* 

Kairós Nepal